Google+ Followers

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Liberdade

"Foi para a liberdade que Cristo nos libertou. Portanto, permaneçam firmes e não se deixem submeter novamente a um jugo de escravidão."
                               Gálatas 5:1 (NVI)

        Liberdade é um desejo que permeia a alma de todos os homens, um anseio que desde os primórdios levou multidões inclusive à guerra.
       De fato, as pessoas em geral lutam ao longo da vida para gozarem essa condição, contudo, atribuindo ao termo liberdade um sentido equivocado, que implica em não ser submisso a quem quer que seja, ou ainda, fazer tudo o que se tem vontade, ir para onde se quer, ou seja, não possuir quaisquer tipos de amarras ou freios.
        Penso que, talvez tenha sido essa, uma das coisas que mais influiram na decisão de Adão em contrariar a orientação divina de não comer o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal (Gn 2.16,17). Provavelmente, diante do quadro que lhe fora apresentado mediante a fala da serpente à Eva, de que não morreriam e que seriam iguais a Deus, conhecedores do bem e do mal, imaginou a liberdade que desfrutaria e tudo o que poderia fazer, sem depender de seu Criador ou ficar sujeito às suas regras, determinações, enfim, este seria o verdadeiro paraíso: viver ao seu bel prazer.
         Triste engano é para o homem acreditar que a liberdade reside em viver sem regras ou por suas próprias regras, independente do Senhor ou das demais pessoas. Viver assim é escravidão a si mesmo. 
       Porque, ainda que alguém possuisse tamanha riqueza que não dependesse de outrem para sua manutenção, mesmo que vivesse isoladamente de qualquer grupo de seus semelhantes ou procurasse caminhar anarquicamente sem respeitar leis, regras, sistemas, ou o que quer que lhe impusesse limites, seria dependente do ar que respira, da água que bebe e do alimento que ingere para sobreviver. 
       Dependeria da luz do sol para se aquecer ou para não andar em trevas, necessitaria das árvores para fornecer-lhe sombra, das cavernas para protegê-lo de intempéries e do fogo para iluminá-lo à noite.
    Em resumo, mesmo que não queiramos admitir ou que fosse possível não depender de mais ninguém, dependemos de elementos da criação que estão fora de nosso controle. Além disso, quem poderá refrear o tempo para que alcancemos o pleno vigor e capacidade de nossos corpos ou não envelheçamos?
        Ilude-se quem pensa que liberdade é ser totalmente independente, porque essa condição não existe. Além disso, quem procura viver dessa forma ficará responsável e sofrerá as consequências de suas próprias escolhas, o que impõe uma carga muito maior às aflições, dores, traumas e tormentos dos quais a vida está recheada. 
      Esses fardos são profundamente opressivos e fatigantes. E devemos nos lembrar que só encontraremos remédio para a opressão e o cansaço que podem nos afligir, principalmente decorrente de nossa natureza pecaminosa em Jesus, quando tomamos sobre nós seu jugo e aprendemos dEle (Mt 11.28-30).
e eu lhes darei descanso.

Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas.


Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve".

Mateus 11:28-30
      Ser livre... 
     ... é não viver atemorizado com a necessidade de a cada segundo ter que tomar uma nova decisão ou escolher nossos caminhos, porque fizemos a opção de ser conduzidos pelo Espírito Santo;
      ... é ser um servo de orelhas furadas que escolheu, por amor, estar para sempre com seu Senhor;
      ... é permitir ser aprisionado por sua Graça e ser refém de sua Misericórdia.
      Liberdade é ser totalmente dependente dEle, o Eterno, o Pai das Luzes, o Amém.








Um comentário:

Anônimo disse...

Sua visão e argumentos sobre a "tal liberdade" de viver dependente de si mesmo são ótimos.

Muito bom texto para honra e glória de Deus. Continue a publicar esses posts porque muito nos edifica.

Abraços cordiais e fica na paz do Senhor!